segunda-feira, 28 de novembro de 2011

... I should feel about as happy as can be ... ♫


estou muito enrolada com o final do período, em partes por minha culpa mesmo, mas, desde o fim de semana está caindo uma chuva ininterrupta, e esse tempo me dá mais preguiça ainda, logo, eu resolvi organizar algumas idéias, pra ver se enquanto eu faço isto, as idéias que eu realmente preciso aparacem.
antes eu não era nem mais nem menos feliz do que agora, mas, de uns tempos pra cá, assim como muitas pessoas resolvi procurar a felicidade na Internet, e faz menos tempo do que isto, que eu vejo muita gente reclamar em redes sociais, que não tem vida social (ironicamente .-.), e confesso achar isso bem estranho, porque muita gente que eu vejo reclamar disso, saí dia sim e outro também, e eu só criei esse vício de ficar na Internet porque não tenho permissão pra sair que nem essas pessoas.
mas, faz um tempo que nem a Internet é capaz de me trazer felicidade. que ela é útil é verdade, mas, é útil pra entristecer também, porque eu vejo muita gente que tem o que eu queria ter e nem dá valor.

sábado, 26 de novembro de 2011

saudade.

tenho saudade de muita coisa,
mas, o que me dá mais saudade, são os amigos que eu não vejo há tempos, mas, que eu sei que quando eu encontrar, a amizade será exatamente como era antes.
a vida é cheia de surpresas, mas, as melhores são aquelas que chegam de uma hora pra outra, e ficam pra sempre. (apesar deste pra sempre ter alguns intervalos) 

terça-feira, 15 de novembro de 2011

always should be someone you really love ♫

amizade e amor são importantes. logo, se você ama os seus amigos, pode discordar deles, mas, não deve dar palpite nas coisas do coração. afinal quem está amando aquela pessoa não é você. é claro que se a pessoa não tiver boa índole, você dever alertar, mas, se meter nos sentimentos de alguém, só porque você não gosta da aparência, do mesmo tipo de música, ou qualquer coisa "irrelevante" sobre aquela pessoa é ridículo.
logo, se você não tem que largar os seus amigos por causa de quem você ama, você também não tem que deixar de amar alguém só porque os seus amigos adoram se meter na sua vida. se der errado, eles estarão lá pra te ajudar (se forem amigos de verdade), mas, se der certo, você vai ser feliz, e amigos de verdade, querem a felicidade dos outros.

just another regreted ♫

a maioria das pessoas assiste desenho animado e gosta dos vilões, porque quase sempre eles são realmente mais legais. mas, eu sou dessas de me identificar com os protagonistas tortos, aqueles que são apontados como cheios de defeitos durante boa parte do filme. geralmente, eles tem uns amigos que gostam deles simplesmente por eles serem que eles são, mas, muitos são vira casaca e só se tornam amigos depois que tudo dá certo. claro que é normal o ser humano mudar de opinião, mas sinceramente, eu não acredito em quem diz coisas horríveis ao meu respeito e diz que é meu amigo depois que eu passo a viver em um mar de rosas.



sábado, 12 de novembro de 2011

os melhores momentos que posso sofrer ♪

voltei :D
e vamos partir logo para o assunto que interessa .


quem acompanha o blog e/ou me conhece pessoalmente, sabe que a minha banda preferida desde a pré adolescência é o Capital Inicial. e provavelmente muitos de vocês sabem que eu uma vez ou outra eu digo que eu vou esquecer deles, mas, nunca consigo.


conheço as músicas Primeiros Erros e Passageiro desde muito tempo, mas, comecei a ouvir outras músicas na época do Rosas e Vinho Tinto, quando eu tinha 9 anos, (com 10, num momento de insônia, eu liguei o rádio e conheci a Natasha, e eu vi nela tudo o que eu queria ser) e foi assim até eu completar 11 anos, época em que eu os vi pela primeira vez, assistindo o Criança Esperança pela televisão tocando Sem Cansar. foi amor à primeira vista, não só pela simpatia e pela beleza deles, mas, a banda transmite uma energia que eu acho que eu nunca conseguirei traduzir em palavras. quando eu tinha 12 anos esqueci do rock por uns meses, mas, voltei a ouvir depois que eu assisti o filme Escola de Rock (filme, que junto com a banda me levou a gostar de AC/DC). com 13 anos, eu tive uma paixonite que acidentalmente"desenterrou" a minha paixão pela banda, pois como eu nunca tive coragem de contar pra ele, que também era fã da banda, eu ouvia Capital Inicial todos os dias e chorava muito. nessa época, eu conheci uma música que eu me identifiquei muito, Anúncios de Refrigerante. quando eu fiz 14 anos, parei pra ouvir o Acústico MTV e gostei muito (gosto muito até hoje).  nessa época, eu tinha as caricaturas deles (que eu achei no jornal) coladas na agenda, juntamente com trechos e nomes de músicas deles e tudo mais. com quase 15 anos, eu ganhei o dvd do Acústico MTV de amigo oculto, meio que por acidente, porque não encontraram o dvd que eu queria, mas eu gostei tanto desse, que eu nem lembro qual era o que eu pedi. com 15 anos, eu fiz vários amigos, sendo que a maioria não gostava da banda, mas, eu sempre ficava do lado do Capital, pois amigos devem respeitar a opinião dos outros e ponto final (não era pra rimar, mas, enfim ... ). e nessa época, eu tive outra desilusão amorosa, e eu descobri que era uma desilusão em um show de rock, na hora que a banda estava fazendo cover de A Sua Maneira. com 16 anos, eu ganhei o cd do Multishow em maio, e me apaixonei ainda mais pela música Fogo ( obrigada Fabiano Carelli e Robledo Silva, por deixar essa música tão linda *-* ), e também conheci as músicas Passos Falsos e Dançando com a Lua ( esta última, uma das minhas preferidas), depois de alguns meses, eu estava com muita raiva de umas pessoas folgadas do meu antigo curso de cinema e no dia 01 de novembro, eu cheguei em casa e fui despejar a minha raiva na Internet, e passaram alguns minutos até darem no Fantástico a notícia de que o Dinho havia caído do palco, fiquei chocada e não conseguia acreditar que aquilo era verdade, cheguei até a dar crise naquela semana na escola, porque toda hora pedia pra algum amigo me dizer que ele não ia morrer, mas pra piorar ainda teve gente sem coração debochando dele ¬¬' ( na boa, mesmo se você não gosta do trabalho daquela pessoa, ela não te fez nada, então você não deve desejar o mal dela '-' ). o tempo passou, e o Dinho ficou bem - que bom. quando eu tinha 17 anos, saiu o Das Kapital, confesso que não sei todas as músicas de cabeça, mas, gosto de todas, um trecho de uma delas inclusive, ( Vamos Comemorar) tem muito haver com o momento que eu vivia naquela época, o fim do Ensino Médio. 2011 começou, e eu fiz 18 anos, e anunciaram o show deles na minha cidade e na cidade onde eu estudo ( Juiz de Fora-MG ). minha mãe não deixou eu ir ao show lá, porque aqui também ia ter, mas, por mim, eu ia lá, no Rock in Rio ( até porque o show deles foi em um dos melhores dias ) e aqui. depois de algum tempo, cancelaram o show deles aqui na cidade. como eu me decepcionei ! aí passou mais um tempo e anunciaram de novo, mas, me deu a louca e eu não queria ir, mas, na última hora a minha mãe comprou o ingresso pra mim. mas, ainda tinha um porém: eu tinha que conhecer a banda! falei com gente influente, fiz campanha na Internet, entrei em sorteios e NADA. 5 de Novembro, o dia do show havia chegado, fui 3 vezes para a porta do hotel, sendo que na última, algumas amigas estavam comigo. não conseguimos nada, só ganhamos xau de gente que nós nem conhecíamos, e ainda tivemos que agüentar zuação e falta de educação de gente do hotel e de algumas pessoas que também estavam lá. cheguei em casa muito brava, peguei tudo o que eu tinha da banda e guardei em uma caixa e resolvi não ir ao show (coloquei isso na Internet e tudo -sim, sempre a Internet AHUHAUAH), mas, depois resolvi. sendo que nesse meio tempo, eu havia mudado de companhia pra ir ao show, e não deu tempo de ir de ônibus. e eu ainda estava brava, porque havia visto na Internet que a banda saiu do hotel pouco tempo depois da hora que eu fui embora. o hotel é bem próximo ao bairro onde eu moro, e eu, a minha prima e a nossa vizinha estávamos indo a pé para o show. na porta do hotel tinha um monte de gente e um cara perguntando do carro. e quem era esse cara ? o Dinho ! fiquei com muito medo de chegar perto dele pra pedir pra tirar foto, mas, as moças que estavam lá foram muito legais e disseram que eu podia chamar sim. aí eu chamei e perguntei se podia tirar uma foto com ele. ele foi super simpático. eu achei que eu ia morrer, mas, consegui dar uma abraço nele *-* e tirei a foto, depois de outro abraço e agradeci. não deu tempo de pegar autógrafo nem nada, e também eu nem queria atrasar o cara, mas, mesmo assim eu amei. a música Não Sei Porque vai sempre vai me fazer lembrar desse momento. (minha prima ligou pra minha mãe, e eu nem percebi HAUHAUH) consegui ficar em um lugar bom na hora do show (mas, não consegui pegar a palheta) e ainda ganhei um sorriso e um xau do Dinho. o único problema é que show em cidade do interior (mas será que é só no interior mesmo?) tem dessas "tietes" que mal conhecem a banda, ganhei vários olhares tortos de garotas que estavam lá, só porque eu sabia o nome de todos os integrantes, mas, quando o Dinho apresentou a banda, elas ficaram com mais raiva ( HEHEHE ), mas também deu pra conhecer muita gente legal. depois brotou um cara de 4 metros de altura na minha frente e tapou a minha visão ¬¬' mas, dos males o menor, pois o show estava no finzinho. cheguei em casa 6 horas da manhã, e no outro dia, as 9 horas, como diz a música A Sua Maneira (ironicamente, esta música) : " ... eu acordei sem saber se era um sonho ..." a foto ainda estava no celular da minha vizinha, e eu não conseguia acreditar, que eu estava no show, ainda mais que eu havia conhecido o Dinho ! a minha ficha está caindo aos poucos, mas, eu estou muito feliz, e agradeço a todos que torceram pra que eu realizasse o meu sonho. e agora, eu quero conhecer os outros integrantes da banda HEHEH :) 


tá tremida, mas, é a foto mais linda que eu tenho *-*
enfim, como eu já disse, algumas vezes eu tenho decepções e digo que não vou mais gostar da banda, mas, nem eu mesma creio que isso seja possível. eu posso passar meses ouvindo outras bandas, mas, o primeiro lugar sempre vai ser do Capital Inicial. ser Capitaliana não é fanatismo, é amor. e mesmo sabendo que eles não lerão esse texto, eu gostaria de agradecê-los por fazer parte da minha vida: muito obrigada, Dinho Ouro Preto, Flávio Lemos, Yves Passarell, Fê Lemos, Robledo Silva e Fabiano Carelli, eu amo muito vocês.